Ser mulher. Desafios a vencer.

A mulher e seus desafios a vencer.

Eu sou mulher! Posso falar com segurança que ser mulher não é nem de perto algo fácil.

Para começar, a mulher precisa provar a todo instante que merece seu espaço e que tem capacidade de se destacar. Em várias culturas ela é criada para gerar filhos e não lhe é dada a escolha de seu futuro.

Talvez você esteja pensando que do lado de cá esteja uma feminista convicta. Eu sou motivada por direitos iguais. Defendo que a pessoa deve ter liberdade para fazer aquilo que ela decidiu para seu futuro. Caso ela opte viver no lar, é sua escolha e lhe é tirado este direito também. É importante que tenha escolha.

Especialistas dizem que ainda há muita desigualdade entre os gêneros e que isso afasta a mulher de carreiras na ciência e tecnologia. Para se ter uma ideia, hoje nas universidades, de todos os alunos matriculados nos cursos de ciência e tecnologia, apenas 35% corresponde a mulheres. Adriana Carvalho , que é gerente da ONU Mulheres, diz que esse fato preocupa, pois esta é a área que mais cresce no mundo.

Daqui para frente vamos mapear os desafios que a mulher moderna precisa vencer diariamente.

Como é a educação formal da mulher

Desequilíbrio mundial de gêneros

No meu perfil do Instagram eu coloquei uma pesquisa que mostra a participação feminina em algumas áreas. Naquele caso eu mostrava a preferência feminina por determinadas funções. Quando eu preparava o post já fiquei muito curiosa e me perguntei como em pleno 2020 as mulheres ainda preferem profissões culturalmente femininas?

Claro, eu não poderia deixar de fazer constatações particulares, posto que não há comprovação científica que justifique a disparidade feminina para uma função em detrimento a outras consideradas masculinas. O que eu não imaginava é que existe uma corrente de especialistas que busca também as mesmas respostas.

Na conferência da ONU Mulheres esse questionamento foi pauta de reflexão também. Uma coisa é certa: a escolha ou não por áreas da ciência e tecnologia tem mais a ver com questões culturais e sociais do que capacidade do gênero. Vamos ver juntos a que ponto eles chegaram.

Quando tudo começa

Segundo Ricardo Henriques, diretor-executivo do Instituto Unibanco , tudo se inicia na educação da menina que é introduzida muito cedo nos estereótipos da maternidade e família. No caso a escolha por cursos da área de humanas acaba sendo uma tendência natural. Mais tarde, a menina tem quase sempre professores homens para as aulas de matemática e física e recebe pouco estímulo de exemplos de destaque feminino.

Ricardo defende que as escolas devem urgentemente alterar seus padrões trazendo mais heterogeneidade para os espaços de educação.

Na profissão

O padrão estereotipado mantem-se quando ela chega ao trabalho formal. A mulher precisa provar muito mais capacidade para ocupar um espaço culturalmente masculino onde muitas vezes precisa abdicar de outros sonhos. Ela precisa sempre optar por uma coisa ou outra.

Pasmem, segundo relatório do Fórum Econômico Mundial, a igualdade de gêneros acontecerá, se prosseguirmos na evolução pelos direitos das mulheres somente em 2095.

As mulheres passaram a ocupar algumas das funções que antes somente eram ocupadas por homens, infelizmente os salários ainda não acompanham os dos grupos masculinos na mesma função, mesmo quando as mulheres têm um nível educacional mais elevado. As mulheres precisam estudar mais, trabalhar mais e fazer a escolha entre família e trabalho. Se ela não tiver uma equipe de suporte dificilmente conseguirá se realizar nos dois âmbitos; caso ser mãe seja também.

A mulher e preconceitos

A mulher pode, mas se vê com dificuldades em ser aquilo que gostaria de ser. Ela quer ser e a sociedade não aceita.

  • Quer ser mãe, mas não quer o pai
  • Quer o direito de não querer ser mãe
  • Deseja trabalhar com o que quiser
  • Aspira poder assumir livremente que gosta de sexo
  • Espera poder namorar sem compromisso
  • Gostaria de usar qualquer tipo de roupa sem ser julgada
  • mais…..

Para cada escolha é preciso provar ou lutar uma guerra. Em muitos casos a guerra começa internamente, já que cresceu cercada desses preconceitos e assim não desenvolveu o seu querer com propriedade. Cabe a sociedade educar suas meninas para que sejam tudo que seu potencial permite e que jamais aceite ser limitada por preconceitos infundados.

Os tipos de relacionamentos que a mulher pode ter se quiser.

Outro assunto que gera muitos comentários preconceituosos é o tipo de relacionamento que a mulher decide na condução da sua vida.

Abaixo seguem elencados aqueles tipos mais comuns,alguns controversos, mas que estão aí ,caso a mulher decida por eles. É direito dela.

A mulher e seus desafios e relacionamentos

Fiquei interessada em pesquisar sobre os tipos de relacionamentos quando postei sobre o assunto no meu perfil do Instagram. Vi que existe uma infinidade deles. Veremos alguns.

Poliamor

  • Mais de um relacionamento íntimo
  • Aceitação do amor entre 3 ou mais pessoas
  • Entre mulheres, homens ou transexuais
  • Sexo não é o principal da relação
  • Fidelidade
  • Comunicação e negociação
  • Compreensão e desapego
  • Honestidade e respeito

Tipos de Poliamor

Polifidelidade

Múltiplos relacionamentos românticos onde o contato sexual é restrito a membros específicos do grupo.

Relações mono-poli

Um dos membros é monogâmico, mas aceita que o outro não é e mantém relações externas.

Sub-relacionamentos:

Distinguem-se entre relações “primárias” e “secundárias” (um exemplo é a maioria dos casamentos abertos).

Poligamia

Quando uma pessoa se casa com vários maridos (poliandria) ou várias esposas (poliginia), que podem ou não estar casadas ou manter relacionamentos uns com os outros.

Relacionamento grupal e casamento em grupo

É uma forma de casamento em que mais de um homem e mais de uma mulher formam uma unidade familiar e todos os membros do casamento compartilham a responsabilidade parental em relação a quaisquer das crianças que surgem do casamento.

Redes de relacionamentos interconectados

Quando uma pessoa pode ter vários relacionamentos, em vários graus de importância, com várias pessoas.

Acordos geométricos

Os acordos geométricos têm esse nome pela alusão que fazem às formas geométricas.

Trios: podem ser uma relação de “triângulo”, em que três pessoas possuem relações iguais entre si; em formato “V”, onde uma pessoa namora duas, mas estas não possuem um relacionamento entre si; e em formato “T”, em que três pessoas namoram, mas duas possuem um relacionamento mais forte entre si que com a terceira.

Quartetostambém chamados de quadras, o quarteto possui uma variação ainda maior de formações. Pode ser chamado de “formato em N”, quando por exemplo, entre dois homens e duas mulheres, apenas elas são bissexuais e se relacionam; há o quadrado onde todos possuem relacionamento entre si.  A geometria da relação pode variar ao longo do tempo.

Agora com as cartas na mesa você já pode pensar: Serve para mim? Eu me vejo feliz em uma situação assim?

O mais importante é o amor próprio. Não aceite violência de nenhuma forma.

Rose Oliveira

Pedagoga-Orientadora

Podcast: RAS um pouquinho de assunto

@rastextosrevisoes

Deixe uma resposta