Álefe Nunes – Aventura de aprender

Álefe Brite Nunes é criadora de conteúdo digital, escritora e colunista aqui no RAS.
Possui formação em Publicidade e Propaganda pela PUC-MG e em Liderança Eclesiástica pelo Instituto Bíblico Smirna.
É dona do projeto digital “Aventura de Aprender” criado em 2008. Conta com um site, página no Facebook, canal no Youtube, perfil no Instagram e outras redes sociais.
Além disso, escreveu um livro chamado “Experiências conectadas – Quando o digital limita o real” com o intuito de trazer uma reflexão aos jovens e adolescentes que têm negado suas experiências por causa da influência das redes sociais.
Recentemente, decidiu investir em Marketing Digital e criou um produto baseado no seu site.

PLANEJAMENTO FINANCEIRO. COMO GASTAR SEM ESTOURAR O ORÇAMENTO?

O tema do artigo de hoje é planejamento financeiro. Pretendo dar algumas dicas de como gastar sem estourar o orçamento.

Ninguém nega que comprar é prazeroso, e não há nada de errado nisso. O problema se instala quando gastamos mais do que ganhamos e, dessa forma, acumulamos dívidas que não conseguimos pagar.

Na maioria das vezes, isso acontece quando queremos ter um padrão de vida além do que poderíamos sustentar. E, em muitos casos, sem nenhuma razão objetiva para isso.

Grande parte de quem gasta mais do que ganha, faz isso simplesmente por status. Para esses, cabe bem a seguinte citação, atribuída a Geraldo Eustáquio de Souza:

“Status é comprar coisas que você não quer, com o dinheiro que você não tem, a fim de mostrar para gente que você não gosta, uma pessoa que você não é”.

Definitivamente, isso não vale a pena! Nós somos únicos e especiais por aquilo que somos, e não pelo que temos.  Ser é muito mais importante do que ter e é isso que devemos priorizar.

Partindo dessa ideia, podemos perguntar: “como adequar os nossos gastos e nossas necessidades?”. Lógico que não vamos esgotar o assunto em apenas um texto, mas há algumas dicas úteis:

  1. Na medida do possível, tente comprar a vista. É bom evitar usar o cartão de crédito, a não ser que seja para gastos relacionados ao dinheiro que já temos.
  2. Nunca pague apenas a parcela mínima do cartão ou parte da fatura porque os juros são exorbitantes. Isso se torna em uma bola de neve, gerando uma dívida muito maior do que o gasto que tivemos anteriormente.
  3. Evite pegar empréstimos em bancos e seguradoras. O custo desse tipo de investimento costuma ser bem alto. É melhor economizar por conta própria por um tempo, ao invés de recorrer a “dinheiro rápido e fácil”.

O sábio Salomão já dizia, há alguns milênios:

“Os planos bem elaborados levam à fartura; mas o apressado sempre acaba na miséria”.

Certa vez, vi outra dica extra que também parece ser pertinente, dentro desse tema:

  • Quando tivermos com vontade de comprar algo que não seja de extrema necessidade, devemos esperar um tempo. Se a vontade permanece e houver condição, podemos comprar. Entretanto, na maioria das vezes, esqueceremos e, dessa forma, teremos economizado bastante.

Em resumo, podemos concluir as dicas dadas aqui com a máxima de que precisamos controlar os nossos gastos, ao invés de deixar que eles nos controlem. Esse é o segredo do equilíbrio.